July 12, 2012   5 notes

Pobre coitado quem não sente
Quem se acusa de culpado
Quem não é mais inocente
Felicidade de verdade não é errado

Pobre coitado quem não sorri
Com sol e vento
A felicidade à porta batendo
E você nem atendendo os chamados

Pena do coitado
Que tá pensando nos problemas que tem
Na semana que vem da que vem
Sem saber se amanhã vai haver

Felicidade é alguém
Que vem visitar de vez em quando
Deixa entrar quando vier
E virá sempre lhe ver

Fabricio Henrique - “A felicidade veio visitar”

May 15, 2012   8 notes

“ Eu te vi hoje
A mais bela das flores
Não acreditei que fosse
O que meus olhos insistiam
Em achar que era

Ainda que quisesse
Não podia te alcançar
Tão longe estava minha rosa
E eu querendo voltar ao meu lugar
Ao lado dela

Mas apesar da distância
A rosa balança com o vento
Que assopro em sua direção, e logo penso:
“Se ela sabe o que eu sinto
Ela sente o mesmo”
E cessa meu medo

E nesse canteiro de poucas flores
Também há uma margarida
Sempre vívida
Balança até com o próprio vento
Sempre a vejo muito
Mesmo pouco a vendo
Essa é diferente, ela me assopra o vento
Que me faz balançar

A mim resta regar
Preservar essas flores belas
Nesse canteiro de poucas flores
A mim resta cuidar
Para que não seque essa terra
Para que não seque os amores ”

Fabricio Henrique - “Canteiro de poucas flores”