August 10, 2012   3 notes

Me roubaram a alegria.
De novo.
Não que a vida
Seja chata assim sem ela,
Imagina.
Eu que tenho mania
De gostar dela

Pensando bem,
O ar é bem puro
Sem todo aquele barulho
Que ela faz

Que tal um dia a mais
De alegria tácita?
(A alegria é uma metáfora)
Ou um fim de semana, quem sabe?
Talvez nasça
Uma nova forma de se alegrar.

Fabricio Henrique - “Fiquei sem alegria hoje”

July 31, 2012   3 notes

No início, não te amava
Mas o tempo passa
E o amor surge do nada
Dando à vida uma graça
Dando uma razão pra acordar
Um toque de “je ne sais quoi”
Que dá uma alegria na gente

Por ser um tanto rejeitado
E não gostar de ver os outros sofrerem
Compreendi você
E meu coração solidário
Resolveu te acolher

Veja bem, uma hora na vida
Você descobre que sua busca
Não é bem por ser feliz
Mas sim por fazer o outro feliz
Em um dá e recebe de felicidade
Pura reciprocidade amorosa

Não é só uma troca, uma negociação
Nem um amor inexplicável, pois tem razão
Mas certamente é verdadeiro

Existe uma razão pra eu te amar
Eu precisava encontrar
Alguém igual a mim
Te encontrei a final

E assim é o nosso amor
Tão mecânico quanto natural
Tão divertido quanto formal

Vai ver isso é amor racional.

Fabricio Henrique - “Amor racional”

July 5, 2012   3 notes

Sorrio
E vejo o rosto de outras pessoas
Não o meu

Sempre me imagino assim
No rosto de outro
Nunca sou eu

Vejo outros sorrindo
Quando sorrio
E o sorriso parece-me o meu

Sorrio-te sempre
Sorrio outros sorrisos
Geralmente, é o meu sorriso no seu

Fabricio Henrique - “Sorrio-te”

July 4, 2012   4 notes

Hoje é dia de alegria
Tenho certeza disso
O sol no céu
A sombra do sol no chão
Por que não se alegrar com isso?

Adia a tristeza, vai
A preocupação tanto quanto
Que quanto mais se preocupa
Mais desgasta o sorriso

Não afaste a felicidade com música
Não feche o sorriso com poesia
O céu está limpo
Aproveita e limpa a alma dos vícios

Aproveita que amanhã
A felicidade e a alegria
Resolvem, de repente
Ir embora sem aviso

Mas Deus me livre disso!

Fabricio Henrique - “Sol, só isso”

June 27, 2012   27 notes

“ O tempo passa
E fica mais difícil
Dar bom dia com sorriso
Vai perdendo a graça ”

Fabricio Henrique - “Bom dia”

June 26, 2012   5 notes

Eu lembro que era muito bom te amar
Não lembro de tristeza naquele tempo
Não recordo pranto, de chorar não lembro
Era muito bom te amar

Com o tempo ficou melhor
Tinha você perto de mim
Lembro de sorrir quando você sorria
E você sorria quando olhava pra mim

Mas depois ficou estranho te amar
Tinha você ao meu lado
Mas não podia te beijar
Era estranho te amar

Você não podia saber do meu amor
Então guardei até não aguentar
A dor de guardar aumentou
Resolvi te mostrar meu amor

O amor é a máxima demonstração
De afeto e carinho, devia te alegrar
Por isso não sei explicar
A razão de você ter entristecido

Queria trazer paz mas desenquietei
Queria trazer felicidade mas entristeci
Queria cuidar de você mas maltratei
Queria te curar mas te machuquei

Agora te amar era muito ruim
Te amar e não ter esse amor de volta
Gerava revolta dentro de mim

Eu queria te cuidar
Queria te dar meu amor
Queria, junto de ti, sonhar
Mas você, meu amor, não deixou

Fabricio Henrique - “O pensamento contraditório”

June 22, 2012   3 notes

Tu és chuva
Que rega meu jardim
Me floresce

Tu és aplauso
Que alegra meu teatro
Me enobrece

Tu és benção
Na vida do perdido
Me enriquece

Teu sorriso
Avermelhado e tímido
Me amanhece

Se ficas triste
Fico triste também
Me entristece

Tu és flor-de-lis
Plantada no céu
Onde nasce e cresce

Dona do sorriso
Dos risos contidos
Sorrisos me esclarecem

No dia nublado
Na chuva mais forte
Há sorrisos que me alegrem

Fabrício Henrique - “Menina-sorriso”, dedicado à Mayara Silveira

May 24, 2012   5 notes

Você me faz bem
Me acalma a alma
Me tira os traumas
Me traz perguntas
E me dá respostas

Você me cai bem
Você é daqueles momentos
Que a gente recorda
E guarda no porta-retrato
Do criado-mudo da sala

Você me distrai bem
Me arranca os versos
Me dispeço da tristeza
Agora que disperso me perco
No olhar da alegria

Você é diferente
No jardim da poesia
Você é lírio
Singela e simples
Mesmo assim complexa

Me estranharia
Você fora de minha vida
Tão boa a sensação
Da sua presença nela

Fabrício Henrique - “Versos pequenos”  dedicado à Juliana Coelho

May 20, 2012   2 notes

“ Quem dirá que um dia
Vai dar certo ser assim
Quem dirá que quem adia
O dia de sua alegria
Vai um dia ser feliz ”

Fabricio Henrique - “Quem dirá?”

May 19, 2012   1 note

Já acostumei às paisagens
Como pinturas em tela
Passando na janela
Aqui dentro, parado

Qual pintura tomando vida
Te vejo colorindo
O monocromático espaço
Em sua volta
Com tinta cor de sorriso

As rimas agora vivem
Saíram do papel
Feito música que alegra
Como as nuvens lá no céu
Como a brisa aqui na terra

Girassol que enfeita a vida
Rosa sem espinho
Que Põe o sol
E nasce a lua cheia
De inspiração e suspiros

Fabrício Henrique - “Poesia em tela”

May 18, 2012   2 notes

“ Esse não era eu
Agora penso em paisagens
Com árvores
Folhagens cortadas por raios
De sol nascente

Penso em definições
Pra inexplicáveis razões
De se amar
De descarregar a saudade
Em parágrafos de poemas

Penso em dançar
Ao som da poesia
No acorde mais ressonante
Te girar
Feito bailarina

Penso em fotografias
Em tirá-las
Em lembrar ao olhar
Uma foto preto e branca
Daquele dia
Reconstituir a alegria

Esse não era eu
Mudei da noite pro dia
Passei a ver o sol
De noite e de dia
Passei a combinar
Vida e poesia
Se é que rima ”

Fabrício Henrique - “Vida e poesia”

May 14, 2012   5 notes

“ Acho que ser poeta é isso. Escrever tanto alegria quanto desilusão. Tentar definir o que não tem explicação. Expressar escrito o que não se fala e está entalado no coração. Escrever a alma. ”

Fabricio Henrique